Israel critica Vaticano por menção a campo de concentração

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - Israel condenou na quinta-feira um assessor sênior do papa Bento 16 por ter comparado a Faixa de Gaza a um campo de concentração. O país se mostrou chocado pelo fato de um homem religioso usar o vocabulário da propaganda política do Hamas. Ficamos chocados ao ouvir de um dignitário espiritual palavras tão distantes da verdade e da dignidade, disse à Reuters pelo telefone, falando desde Israel, o porta-voz do Ministério do Exterior israelense Yigal Palmor.

Reuters |

Na quarta-feira, o cardeal Renato Martino, presidente do Conselho de Justiça e Paz do Vaticano, proferiu a crítica mais contundente de Israel feita pelo Vaticano desde o início da crise mais recente no Oriente Médio, qualificando a Faixa de Gaza como "um grande campo de concentração".

Para Palmor, "vindo de um membro do Colégio de Cardeais, o vocabulário da propaganda política do Hamas é um fenômeno chocante e decepcionante."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG