Israel critica Suécia após denúncia sobre roubo de órgãos

O ministro israelense das Relações Exteriores criticou nesta quinta-feira à noite seu colega de Estocolmo por seu silêncio após a publicação de um artigo, em um jornal sueco, sobre o suposto roubo de órgãos de vítimas palestinas.

AFP |

"É vergonhoso que o ministério sueco das Relações Exteriores se recuse a intervir contra um caso de incitação ao assassinato de judeus", afirmou Avigdor Lieberman, de acordo com a imprensa israelense.

"Essa atitude lembra a da Suécia durante a Segunda Guerra Mundial. Também naquela época, ela se recusou a intervir" contra o genocídio nazista, acrescentou.

Lieberman reagiu assim à recusa do governo de Estocolmo em criticar um artigo da imprensa sueca acusando o Exército israelense de acobertar o tráfico de órgãos retirados de palestinos.

Segundo o artigo do tablóide sueco Aftonbladet, intitulado "Nossas crianças têm seus órgãos roubados", o Exército israelense estaria envolvido no tráfico de órgãos retirados de palestinos mortos.

Citando palestinos cujos sobrenomes não são divulgados, o jornal se refere a um "tráfico ilegal de órgãos" sendo realizado "com a permissão das autoridades" israelenses.

O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, enviou uma mensagem ao ministro sueco das Relações Exteriores, Carl Bildt, pedindo que seu governo "se dissocie publicamente" da divulgação do artigo.

"As alegações do artigo não expressam uma crítica legítima, e são uma calúnia repugnante", acrescentou Barak, declarando que pretende processar o jornal por difamação.

Israel está "profundamente decepcionado" depois que o ministério sueco das Relações Exteriores, por meio de sua embaixadora em Tel-Aviv, evitou denunciar esse artigo, considerado antissemita pelo governo israelense.

A diplomata sueca, Elisabet Borsiin Bonnier, disse que compartilha "o mal-estar dos representantes do governo, da imprensa e da opinão pública em Israel", e "reprovou" o artigo, acrescentando que ele "choca e enoja tanto suecos quanto israelenses".

ChW/dm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG