Israel convocará 6.500 reservistas para eventual invasão de Gaza por terra

Jerusalém, 28 dez (EFE).- O Governo de Israel aprovou hoje a convocação de 6.

EFE |

500 reservistas para uma eventual invasão militar de Gaza por terra, com o objetivo de apoiar os bombardeios aéreos que já deixaram 282 mortos.

De acordo com a imprensa local, o contingente será preparado para o combate. Uma operação similar ocorreu em junho de 2006, após a captura do soldado israelense Gilad Shalit por três milícias palestinas.

O Exército de Israel tem destacados em torno de Gaza centenas de soldados de infantaria e veículos de combate para uma operação terrestre em grande escala.

O ministro de Defesa israelense, Ehud Barak, advertiu hoje que o Exército "aprofundará e ampliará sua operação conforme necessário, pois o objetivo da operação é "mudar completamente as regras do jogo".

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, afirmou hoje que seu Governo usará de "sensatez, paciência e firmeza" na gestão do ataque iniciado sábado à Faixa de Gaza.

Pelo menos 282 pessoas morreram e 900 ficaram feridas por conta dos bombardeios, que completam dois dias da operação israelense contra os palestinos mais sangrenta desde a Guerra dos Seis Dias de 1967.

Em resposta, as milícias palestinas dispararam mais de 50 foguetes - o que chegou mais longe caiu perto de Ashdod, a cerca de 37 quilômetros da Faixa de Gaza e porto mais importante de Israel.

A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) convocou uma jornada de luto e greve na Cisjordânia e Jerusalém Oriental.

Em Nova York, o Conselho de Segurança da ONU realizou uma reunião de urgência e pediu o fim imediato da violência na região, além do fornecimento de ajuda humanitária. EFE ap/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG