JERUSALÉM (Reuters) - O governo de Israel disse nesta terça-feira que estava preparado para trabalhar com a França e com outros governos para permitir que o fluxo de ajuda na Faixa de Gaza aumente, mas pareceu indiferente diante dos pedidos por uma suspensão de 48 horas das operações militares na Faixa de Gaza contra o Hamas. Queremos ver comboios e mais comboios de ajuda humanitária e estamos dispostos a trabalhar de perto com toda as partes internacionais relevantes para facilitar esse objetivo, disse Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, quando perguntado sobre uma proposta da França para uma trégua humanitária de 48 horas.

"Ao mesmo tempo, é importante manter a pressão no Hamas, não dar nem um intervalo, nenhum tempo para que se reúnam ou se reorganizem", acrescentou Regev no quarto dia de ataques aéreos de Israel em Gaza. Israel diz que seu objetivo é eliminar os disparos de foguetes por militantes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.