Israel condiciona acordo com Hamas a libertação de soldado

Sharm el-Sheikh (Egito), 19 mai (EFE).- O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, condicionou hoje o acordo para um cessar-fogo com o Hamas à libertação do soldado israelense Gilad Shalit, em poder de milícias palestinas desde junho de 2006.

EFE |

Em declarações à imprensa após se reunir com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, Barak disse que o Estado de Israel está decidido a devolver a segurança ao redor da Faixa de Gaza "com os meios que forem necessários".

O titular da Defesa e ex-primeiro-ministro israelense respondeu desta forma à proposta egípcia, que já foi aceita pelo Hamas, de decretar um cessar-fogo de seis meses em troca que se encerre o bloqueio sobre a Faixa de Gaza.

"Caso sob as circunstâncias atuais aconteça algum tipo de fim da violência, pensamos que este deveria incluir terminar com o assunto do soldado seqüestrado Gilad Shalit", declarou Barak.

Como contrapartida para libertar o soldado israelense, o Hamas exige a libertação de mil dos 11 mil detidos palestinos em prisões israelenses.

Barak, que não aceitou perguntas em sua rápida entrevista, repetiu que seu país está disposto a garantir - de forma negociada "ou de qualquer outra maneira" - a segurança dos povoados e cidades israelenses próximas a Gaza, que são objeto de ataques com foguetes pelo Hamas e outras milícias palestinas.

O ministro israelense, que se reuniu anteriormente com o chefe negociador egípcio Omar Suleiman, afirmou que suas conversas abordaram a situação em Gaza, Cisjordânia, Líbano e Síria, embora não tenha revelado os detalhes das reuniões. EFE er/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG