Israel condena dois drusos por espionagem para Síria

Jerusalém, 12 fev (EFE).- A Justiça israelense condenou dois drusos, um deles jornalista, que vivem nas Colinas do Golã, território sírio ocupado pelo Estado judeu, por ter espionado para Damasco durante o conflito com o Hisbolá.

EFE |

A censura militar permitiu hoje a difusão da sentença, ditada recentemente pelo Tribunal do Distrito de Nazaré (cidade), no norte de Israel.

Youssef Shams, de 57 anos, terá passar quatro anos na prisão, enquanto Ata Farhat, de 37 anos, ficará preso por três.

Segundo a Justiça do Estado judeu, os dois drusos, que foram detidos em 2007, forneceram informação a militares sírios durante o conflito entre o Exército israelense e a milícia xiita libanesa Hisbolá em 2006.

Farhat é um jornalista conhecido no Golã por sua firme defesa da devolução a Damasco deste território ocupado desde a Guerra dos Seis Dias de 1967, segundo o diário "Yedioth Ahronoth".

A Promotoria acusou os dois de informar Damasco sobre "movimentos do Exército israelense e as características das unidades que operavam no Golã".

Os condenados se defenderam alegando que seus contatos faziam parte das relações comerciais têm com pessoas na Síria e, no caso de Farhat, com seu trabalho jornalístico. EFE ap/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG