Israel caminha para eleições antecipadas

A líder do partido no poder em Israel, Tzipi Livni, proporá a realização de eleições antecipadas, após desistir de formar um novo governo, informou neste sábado a rádio estatal israelense.

AFP |

Segundo funcionários ligados a Livni, citados pela imprensa local, a líder do partido Kadima pedirá ao presidente do país, Shimon Peres, que convoque eleições, que deverão ocorrer no prazo de quatro meses.

"Tomou a decisão conveniente", declarou à imprensa um dirigente do Kadima, o deputado Yoel Hasson, afirmando que seu partido vai vencer a eleição.

Livni deve ir à casa de Peres às 17H00 local (13H00 Brasília) de domingo para propor a realização de eleições, no início de 2009, segundo a imprensa israelense.

A informação da rádio estatal ocorre após o recuo neste sábado de três dos seis deputados ultraortodoxos da Lista Unificada da Torah que Livni contava para formar o novo governo.

A Lista Unificada da Torah exige que a líder do Kadima prometa não negociar o estatuto de Jerusalém, cuja parte oriental foi anexada por Israel e que os palestinos querem converter em capital de seu futuro Estado.

A ministra israelense das Relações Exteriores dispunha legalmente de um prazo de 42 dias, até 3 de novembro, para formar o novo governo.

Livni substituiu em setembro na liderança do Kadima o premier Ehud Olmert, que anunciou sua demissão após uma série de denúncias de corrupção.

Olmert permanece à frente do governo de transição, até a formação de um novo gabinete ou a realização de eleições.

ms/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG