Por Wafa Amr RAMALLAH, Cisjordânia (Reuters) - Forças de Israel bloquearam o acesso a uma vila palestina no sábado, em um esforço para conter os protestos contra a construção de uma barreira na Cisjordânia, informaram as Forças Armadas de Israel.

As tropas cercaram Ni'lin, perto da cidade palestina de Ramallah, sob ordens de vetar a entrada e saída e impedir a passagem de manifestantes contra a barreira, que vem sendo condenada internacionalmente por ser construída em território ocupado.

'Esses protestos estão ficando cada vez mais violentos, e devem ser interrompidos', disse um porta-voz militar israelense.

A barreira, feita de cercas de arame farpado e barricadas de concreto, servirá para afastar terroristas palestinos, diz Israel. Mas também cerca áreas de colônias judias, cortando o acesso de algumas vilas da Cisjordânia a uma vasta região de fazendas.

As obras vêm sendo foco de confrontos entre as forças de segurança israelenses e os moradores palestinos, que frequentemente são apoiados por manifestantes esquerdistas de Israel e outras partes do mundo.

Moradores de Ni'lin disseram que o fechamento foi imposto na sexta-feira, ocasião em que um protesto foi reprimido por forças israelenses, deixando 20 manifestantes feridos por balas de borracha. Quatro manifestantes foram presos, disse um organizador do protesto. No sábado, outro protesto na região foi reprimido por gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Os militares disseram que as obras na barreira prosseguirão como o planejado, apesar dos protestos, enquanto a Rádio Israel afirmou que as obras serão revistas na segunda-feira.

(Redação de Dan Williams)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.