JERUSALÉM (Reuters) - O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, autorizou a construção de 300 novas casas em assentamentos judaicos na Cisjordânia ocupada, informou a Rádio do Exército do país na terça-feira, num desafio aos pedidos dos Estados Unidos pelo fim da expansão dos assentamentos. A rádio informou que 60 das 300 casas no assentamento de Talmon, na Cisjordânia, já foram construídas e que Barak aprovou planos para construir mais 240 unidades no local. O Ministério da Defesa não comentou imediatamente, alegando que estava checando a informação.

O presidente norte-americano, Barack Obama, pressionou Israel para suspender as atividades nos assentamentos como parte da tentativa de retomar as negociações de paz com os palestinos.

Meio milhão de judeus vivem em blocos de assentamentos e vilas construídas na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, que tem predominância árabe. Esses dois territórios foram capturados por Israel na guerra de 1967.

O Tribunal Internacional declarou a ilegalidade de todos os assentamentos. Os Estados Unidos e a União Europeia os consideram um obstáculo para a paz.

Os palestinos, que querem um Estado próprio na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, veem os assentamentos como uma ocupação de território que visa a negá-los um Estado viável.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, tem se recusado a declarar o congelamento dos assentamentos, que causaria tensões dentro da coalizão de direita que governa o país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.