Uma comissão israelense de planejamento urbano aprovou um projeto de construção de 1.300 casas em um bairro de colonização em Jerusalém Oriental anexada, informou a prefeitura.

As residências serão construídas no bairro de Ramat Shlomo, que já tem 2.000 unidades, na zona norte da cidade, informou o porta-voz do município de Jerusalém, Gidi Schmerling.

A decisão foi adotada na terça-feira pela comissão de planejamento urbano da cidade, que é ligada ao ministério do Interior.

O negociador palestino Saeb Erakat acusou Israel de "tentar destruir o processo de paz", após o anúncio.

"A comunidade internacional deve obrigar Israel a deter a colonização se deseja dar uma oportunidade às negociações de paz", afirmou.

Este é um dos projetos de construção mais ambiciosos nos assentamentos de Jerusalém Oriental, ocupado e anexado por Israel em 1967.

Mais de 200.000 israelenses se mudaram desde 1967 para 12 bairros de colonização construídos em Jerusalém Oriental.

Os palestinos, que sonham com a parte oriental de Jerusalém como a capital de seu futuro Estado, consideram a colonização israelense o principal obstáculo para a paz.

jlr-ms/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.