Israel anuncia volta do fornecimento de combustível a Gaza

Jerusalém - Israel retomará amanhã o fornecimento de combustível de uso industrial à Faixa de Gaza, para impedir uma situação na qual sua usina elétrica possa ficar sem reservas.

EFE |

"O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, ordenou o reatamento da provisão de diesel à usina elétrica de Gaza", informa hoje em comunicado o Ministério de Assuntos Exteriores israelense.

"Será transferida apenas a quantidade mínima indispensável para manter a usina em funcionamento", acrescenta a nota.

A decisão segue às advertências ontem de vários funcionários palestinos sobre o fato de que Gaza poderia "se apagar" nesta terça-feira caso Israel não permitisse a entrada de combustível.

"As quantidades existentes de combustível industrial para manter a usina elétrica em funcionamento serão suficientes até a terça-feira", disse Mujahid Salama, chefe da Corporação Palestina de Petróleos.

Israel suspendeu o fornecimento de combustíveis na quarta-feira passada, depois da morte de dois operários na central de abastecimento de Nahal Oz, em um ataque de três milícias palestinas.

Segundo o Ministério de Assuntos Exteriores, o fornecimento será retomado após melhorar as medidas de segurança no terminal onde a gasolina passa dos caminhões israelenses a depósitos no lado palestino.

Por convênios entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP), toda a provisão à Cisjordânia e Gaza é feita pela a empresa israelense Dor Energy, que empregava as duas vítimas.

Embora o ataque não tenha sido perpetrado pelo braço armado do Hamas, Israel responsabiliza o movimento islamita, que controla Gaza desde junho de 2007.

Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, declarou ontem que o ataque não teria ocorrido sem a aprovação do Hamas.

Os analistas sustentam que a decisão de Barak de retomar o fornecimento se deve ao temor de que os islamitas aproveitem a situação para desacreditar Israel perante a opinião pública internacional, caso ocorra em Gaza um blecaute generalizado.

Por isso, a decisão de Barak inclui apenas a transferência de diesel de uso industrial e gás para cozinhar, deixando de fora a gasolina para automóveis, segundo informa Ministério de Assuntos Exteriores em seu comunicado.

    Leia tudo sobre: gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG