Israel anuncia libertação de 200 prisioneiros

O gabinete israelense anunciou neste domingo a libertação de 200 prisioneiros, em uma demonstração de apoio ao presidente palestino Mahmoud Abbas. O governo ainda não divulgou a lista dos beneficiados, mas afirmou que entre eles alguns estão detidos há mais de 20 anos.

BBC Brasil |

As autoridades de segurança de Israel ainda precisam aprovar a lista de prisioneiros, mas há indícios de que dois palestinos envolvidos em ataques contra Israel na década de 70, que mataram cidadãos israelenses, devem estar entre os libertados.

Israel anunciou ainda que a libertação deve ocorrer antes do mês sagrado islâmico do Ramadan, e será próxima do dia 25 de agosto.

Cerca de 10 mil palestinos continuam presos em centros de detenção israelenses, inclusive mulheres e crianças.

Paz
Abbas afirmou que a libertação dos prisioneiros "é um passo na direção certa", mas disse que Israel precisa libertar ainda mais palestinos.

Segundo o correspondente da BBC em Jerusalém, Wyre Davies, tanto Abbas quanto o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, parecem ter a liderança cada vez mais enfraquecida.

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) está lidando com problemas causados pelos conflitos violentos entre as facções palestinas rivais do Fatah e do Hamas, que controla a Faixa de Gaza.

Olmert anunciou recentemente sua renúncia ao cargo depois de ser questionado por alegações de corrupção e fraude.

Depois da conferência de Anápolis, realizada em novembro de 2007 nos Estados Unidos, Israel já libertou 429 palestinos como um gesto de apoio ao líder palestino.

A libertação dos prisioneiros é uma das principais reivindicações da ANP.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG