O Exército de Israel anunciou que a partir desta quarta-feira vai interromper os bombardeios em Gaza durante três horas todos os dias.


"Decidimos cessar os bombardeios em Gaza entre as 11h GMT (9h de Brasília) e as 14h GMT (12H00 de Brasília) todos os dias a partir de hoje, quarta-feira", declarou à AFP a porta-voz militar Avital Leibovich.

Esta medida permitiria que a população palestina saísse de casa para obter mantimentos, graças a um corredor humanitário cuja abertura foi anunciada pelo escritório do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert.

ONU pede cessar-fogo

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu um cessar-fogo imediato nos conflitos na Faixa de Gaza durante uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU, na noite desta terça-feira. Ban criticou Israel pelos bombardeios em Gaza e o grupo militante palestino Hamas por lançar foguetes contra o país.

O Conselho de Segurança também analisou uma proposta de cessar-fogo apresentada pela França e pelo Egito. A proposta recebeu apoio dos Estados Unidos e do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

Apresentado na reunião em Nova York pelo presidente egípcio, Hosni Mubarak, e pelo líder francês, Nicolas Sarkozy, o plano prevê a retomada do envio de ajuda humanitária a Gaza e negociações a respeito da segurança na fronteira entre israelenses e palestinos.

A proposta foi bem recebida pela secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, que pediu por uma trégua que seja "durável e que garanta a segurança".

Segundo a correspondente da BBC Laura Trevelyan, a proposta pode representar um esboço de um possível acordo diplomático.

A embaixadora de Israel na ONU, Gabriela Shalev, não comentou se Israel aceitaria a proposta, mas afirmou que ela "seria levada a sério".

A França diz esperar uma resposta definitiva ainda nesta quarta-feira.

12 º dia de bombardeios


Leia também


Opinião

Vídeos


Leia mais sobre: Faixa de Gaza


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.