Israel ainda barra circulação de palestinos, diz ONU

Um relatório elaborado pelas Nações Unidas aponta que Israel não cumpriu as promessas feitas aos Estados Unidos e à Autoridade Palestina de facilitar a liberdade de circulação dos palestinos e reduzir o número de barreiras e pontos de checagem na Cisjordânia. O relatório afirma que muitas das barreiras retiradas pelas tropas israelenses eram secundárias e não representavam obstáculos reais à circulação dos habitantes do território palestino.

BBC Brasil |


O Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (OCHA) entregou o documento na quinta-feira ao representante do Quarteto (grupo formado por União Européia, ONU, Rússia e Estados Unidos) para o Oriente Médio, Tony Blair, afirmando que, apesar das promessas do governo israelense, a liberdade de circulação da população palestina na Cisjordânia não aumentou.

Durante a visita da Secretária de Estado americana, Condoleeza Rice, em março, o ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, prometeu que 61 (das cerca de 600) barreiras colocadas pelas tropas israelenses nas estradas da Cisjordânia seriam retiradas.

Segundo o relatório da OCHA, nas últimas semanas as tropas israelenses retiraram 44 barreiras, porém 39 delas não impediam a circulação dos palestinos, pois se encontravam em locais aos quais eles não tinham acesso, dentro de áreas militares fechadas ou assentamentos israelenses.

A OCHA afirma que apenas a retirada de cinco barreiras facilitou a circulação dos palestinos.

Pilhas de areia

O porta-voz do Exército israelense disse que "no dia 1º de abril foram retiradas 50 pilhas de areia e um ponto de checagem, para facilitar a vida dos palestinos".

"No dia 3 de abril, mais dez barreiras foram retiradas e o Exército de Defesa de Israel vai continuar avaliando mais possibilidades de facilitar a vida dos palestinos, e ao mesmo tempo enfrentar as organizações terroristas que tentam atacar alvos israelenses", acrescentou o porta-voz.

O tema das restrições à liberdade de ir e vir dos palestinos na Cisjordânia é constantemente destacado pelo presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, em suas reuniões com o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert.

Olmert vem prometendo a redução das barreiras, porém, segundo a mídia israelense, o ministro da Defesa é contra.

Centenas das barreiras são feitas de pilhas de areia de dois metros de altura, colocadas pelas tropas israelenses para impedir o acesso de veículos de aldeias palestinas às principais estradas da Cisjordânia.

De acordo com uma reportagem do canal público da TV israelense, em vários casos testemunhas palestinas afirmaram que as tropas colocaram as pilhas de areia em estradas no norte do território palestino e em seguida chamaram a imprensa para registrar sua retirada.

Além das pilhas de areia e blocos de concreto, existem também cerca de 100 pontos de controle fixos e móveis.

O premiê israelense disse aos comandantes militares na Cisjordânia que devem "entender e levar em consideração o sofrimento dos palestinos nos pontos de controle, para não aumentar ainda mais o conflito entre os dois povos".

"Imaginem todos os palestinos que foram obrigados a se despir nos pontos de controle, por causa do temor que haja terroristas entre eles", disse Olmert aos comandantes.

"Imaginem todos aqueles que têm que esperar nos pontos de controle... isso (essa situação) pode explodir e criar terríveis queimaduras, ou se desenvolver de outra forma. Depende apenas da compreensão de vocês."

Leia mais sobre: palestinos

    Leia tudo sobre: palestinos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG