O gabinete de segurança israelense lançou nesta quarta-feira uma advertência ao Hamas, avisando que o movimento radical islâmico será responsabilizado por qualquer ataque cometido a partir da Faixa de Gaza, onde o bloqueio foi mantido.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, reuniu o gabinete de segurança para examinar uma eventual flexibilização do bloqueio, depois das pressões neste sentido exercidas pelo governo dos Estados Unidos.

O bloqueio foi imposto à Faixa de Gaza há dois anos, quando o Hamas tomou o controle deste território.

"O gabinete (de segurança) decidiu que Israel responsabilizará o Hamas por qualquer ataque perpetrado a partir da Faixa de Gaza", avisaram os assessores do primeiro-ministro em comunicado.

"O gabinete orientou as forças de Israel a responder a qualquer ataque de Gaza", acrescentaram.

Segunda-feira, quatro ativistas palestinos morreram durante uma troca de tiros com militares israelenses perto da barreira de segurança que separa a Faixa de Gaza do território israelense.

Um movimento até então desconhecido, "Os Soldados de Alá", reivindicou o ataque.

"O gabinete também está estudando meios suplementares de facilitar a vida da população palestina de Gaza, preservando os interesses de segurança de Israel", acrescenta o comunicado, referindo-se ao bloqueio imposto pelo Estado hebreu a este território pobre e densamente povoado.

bur/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.