Cairo, 25 dez (EFE).- A ministra de Exteriores israelense, Tzipi Livni, afirmou hoje no Cairo que chegou o momento de mudar a situação em Gaza e destacou que Israel não tolerará mais ataques a partir deste território contra as cidades do sul do país.

A chanceler fez estas declarações em entrevista coletiva concedida junto o ministro de Exteriores egípcio, Ahmed Aboul Gheit, depois de se reunir com o presidente do Egito, Hosni Mubarak, e com o chefe da Inteligência egípcia, Omar Suleiman.

"O movimento Hamas deve perceber que o desejo de Israel de conseguir a paz na região não significa que vá tolerar a atual situação por muito tempo", assegurou Livni, citada pela agência de notícias egípcia "Mena".

A visita de Livni acontece um dia depois que milicianos de distintas facções em Gaza, incluindo o braço armado do Hamas, lançaram cerca de 100 foguetes e bombas contra solo israelense, que não deixaram feridos, mas causaram preocupação entre a população.

"É o momento de dizer basta. Israel não pode permitir uma situação na qual o Hamas continua lançando ataques contra o país, esta realidade deve ser mudada e isto é o que Israel vai fazer", disse a chefe da diplomacia israelense.

Livni também disse que o "Hamas deve entender que não será permitido que os terroristas controlem a região do Oriente Médio através da violência".

Além disso, responsabilizou o Hamas pela deterioração da situação humanitária em Gaza, e assegurou que os problemas aumentaram quando o grupo islâmico assumiu o controle da Faixa, em junho de 2007.

Durante a entrevista, o ministro de Exteriores egípcio pediu a israelenses e palestinos que se contenham e qualificou a situação de "árdua, complicada e perigosa".

"O Egito continuará se esforçando para restaurar a trégua (rompida em 19 de dezembro), sempre que as partes implicadas desejarem", afirmou Aboul Gheit. EFE nq/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.