Israel admite responsabilidade na morte de três irmãs em Gaza

O exército israelense admitiu nesta quarta-feira sua responsabilidade na morte de três adolescentes, filhas de um médico palestino durante a ofensiva do Estado hebreu na Faixa de Gaza.

AFP |

"O exército realizou várias investigações em diferentes níveis sobre o acontecimento, na casa do doutor Ezzedin Abu Al-Eich, no dia 16 de janeiro de 2009", afirma um comunicado.

"As conclusões mostraram que dois morteiros foram disparados por um tanque nosso, causando a morte das três filhas de Al-Eich", diz a nota, acrescentando que "as Forças Armadas estão entristecidas com o sofrimento causado à família; mas afirma, ao mesmo tempo que, considerando os níveis de ameaças e a intensidade dos combates na zona, as decisões de abrir fogo contra a residência foram razoáveis".

Pouco depois da morte de Bissam, de 20 anos, Mayar, de 14, e Aya Abu al-Eich, de 13, seu pai telefonou para um apresentador do Canal 10 - uma rede privada israelense de televisão, a quem conhecia pessoalmente e, ao vivo, denunciou: "Eram apenas meninas, nada mais que meninas. Elas foram bombardeadas. Por que as mataram?".

mel/ezz/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG