Islândia tem novo governo para tentar sair da crise

A Islândia, tem novo governo para tentar tirar o país da crise, depois de um acordo entre dois partidos de esquerda no sábado para a formação de um gabinete que substituirá a coalizão governamental que se demitiu.

AFP |

Johanna Sigurdardottir, de 66 anos de idade, é a primeira mulher no país a ocupar o cargo de primeira-ministra e a primeira chefe de governo ocidental a assumir abertamente sua homossexualidade.

"Fui convocada pelo presidente da Islândia para formar o novo governo, e conseguimos um gabinete baseado em novos valores sociais", disse a social-democrata.

Participa, também, da coalizão, o Partido Esquerda-Verde.

O governo "se apoiará em novos valores sociais", insistiu Sigurdardottir após ter sido recebida pelo presidente Olafur Ragnar Grimsson.

Os islandeses, muitos dos quais perderam suas economias e empregos desde outubro, consideram o ex-premier responsável pela crise financeira e econômica que levou a ilha à beira do abismo, e obrigou o governo a tomar o controle dos grandes bancos, enquanto a moeda naufragava.

Segundo as previsões dos técnicos, a economia da Islândia poderá encolher 9,6% em 2009.

O sistema financeiro da Islândia entrou em colapso em outubro, com o peso de uma dívida acumulada durante anos de crescimento econômico rápido: o governo se viu obrigado a negociar empréstimos da ordem de US$ 10 bilhões com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e com vários países europeus.

A moeda islandesa, a coroa, sofreu grande desvalorização, e o desemprego no país aumentou.

O ex-primeiro-ministro da Islândia, Geir Haarde, havia anunciado na segunda-feira passada a renúncia imediata de seu gabinete, em consequência da crise econômica que afeta o país há quatro meses.

O Partido da Independência, formação de centro-direita de Haarde, dividia o poder com os social-democratas desde maio de 2007.

str-nl/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG