O Parlamento da Islândia aprovou nesta sexta-feira a devolução de cerca de US$ 5 bilhões aos governos da Grã-Bretanha e da Holanda. De acordo com a proposta, o governo islandês vai reembolsar os investimentos dos governos desses países no banco de internet Icesave.

Cerca de 400 mil pessoas perderam os seus investimentos no Icesave, quando a empresa controladora do banco, a Landsbanki, faliu no ano passado.

A proposta não se estende aos investimentos feitos por administrações locais britânicas em bancos islandeses, que estão sendo discutidos separadamente.

Neste processo separado, por exemplo, a administração local da cidade inglesa de Nottingham já recebeu cerca de US$ 4 milhões dos mais de US$ 68 milhões perdidos.

Fórmula
Os valores a serem reembolsados serão limitados ao Produto Interno Bruto (PIB) da Islândia, de forma que até 4% do PIB sejam pagos à Grã-Bretanha e 2% à Holanda.

Os pagamentos só vão começar depois de sete anos, mas a lei afirma que se a dívida não tiver sido saldada até 2024, não serão mais feitos pagamentos. Isso deixa na prática apenas oito anos para o pagamento da dívida.

O Tesouro britânico divulgou uma nota na qual afirma que vai analisar as condições impostas sobre o empréstimo para "garantir que elas sejam razoáveis".

O governo islandês afirma esperar que o acordo com a Grã-Bretanha e com a Holanda facilite a obtenção de auxílio financeiro ao país.

A medida provocou polêmica na Islândia, já que muitos questionam por que o governo deveria pagar dívidas de um banco privado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.