Islamabad: ataques de Mumbai foram parcialmente planejados no Paquistão

O Paquistão admitiu pela primeira vez oficialmente nesta quinta-feira que os atentados terroristas de Mumbai, em novembro, foram parcialmente planejados em seu território, e informou que seis pessoas suspeitas já foram presas.

AFP |

"Os fatos ocorreram na Índia, e o complô foi parcialmente tramado no Paquistão", declarou à imprensa Rehman Malik, diretor do ministério do Interior, que tem função de ministro.

Uma queixa foi oficialmente registrada na polícia contra oito pessoas, os "cérebros e organizadores" dos ataques, seis dos quais "foram detidos por cumplicidade, complô e planejamento" dos ataques de Mumbai, cometidos no fim de novembro passado, destacou Malik em entrevista coletiva, entregando os nomes de alguns dos suspeitos.

Malik não especificou quando os suspeitos foram presos, mas ressaltou que entre eles está o homem identificado como o "cérebro" dos ataques, Zaki ur-Rehman Lakhvi.

A detenção de Lakhvi, um dos principais líderes do grupo radical islâmico Lashkar-e-Taiba (LeT), fora anunciada no início de dezembro pelas forças de segurança paquistanesas.

Esta é a primeira vez que o Paquistão reconhece que os ataques de Mumbai foram, ao menos parcialmente, preparados em seu território. Um comando formado por 10 islamitas conduziu estes ataques coordenados que deixaram 174 mortos, incluindo nove terroristas, entre os dias 26 e 29 de novembro na capital econômica da Índia.

O presidente e o primeiro-ministro paquistaneses tinham garantido à Índia uma total cooperação na busca pelos culpados. Islamabad abriu sua própria investigação e prendeu várias pessoas já no início de dezembro.

A Índia, que já enfrentou seu vizinho e rival paquistanês em três guerras, multiplicou as acusações, chegando a afirmar que os serviços de inteligência paquistaneses participaram do planejamento dos ataques.

Islamabad nunca negou a responsabilidade do LeT, um grupo armado paquistanês proibido no país, mas desmentiu categoricamente qualquer envolvimento de seus serviços de inteligência.

Malik também mencionou nesta quinta-feira outros países cujos territórios foram, em diversos graus, utilizados pelas pessoas que planejaram os ataques, afirmando por exemplo que 238 dólares foram transferidos da Espanha para a compra de um site internet registrado em Houston, nos Estados Unidos, para que os terroristas conseguissem se comunicar.

Outro site utilizado pelos terroristas estava registrado na Rússia, acrescentou o ministro.

Malik destacou que entre os suspeitos detidos está um homem chamado Javed Iqbal, um paquistanês que mora em Barcelona, na Espanha, e que foi detido assim que voltou ao Paquistão, em circunstâncias que se recusou a especificar.

mmg/yw/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG