Isaf nega ter feito incursão militar no Paquistão

Cabul, 4 set (EFE).- A Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) no Afeganistão negou hoje ter feito incursões militares em território do Paquistão, incluindo o ataque da quarta-feira contra um povoado paquistanês perto da fronteira, no qual, segundo Islamabad, morreram até 20 civis.

EFE |

A missão da Isaf é contribuir para criar um "ambiente seguro e estável" para "ajudar os afegãos a reconstruir seu país", afirmou a força comandada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), em comunicado.

"A Isaf opera só no Afeganistão", afirmou, acrescentando que suas forças "não operam no Paquistão" e qualificando de "completamente falsas" informações a respeito publicadas na imprensa.

O Governo do Paquistão acusou ontem indistintamente a Isaf e as forças da coalizão dirigidas pelos EUA no Afeganistão pela incursão e ataque com helicópteros e comandos contra uma localidade próxima à fronteira, que causou a morte de até 20 civis.

Em sua nota oficial, a Isaf afirmou que suas forças na zona próxima à fronteira "podem responder ao fogo (do outro lado), mas só sob as regras aprovadas de enfrentamento em defesa própria".

"Esses incidentes (de resposta) são avisados e coordenados com as autoridades paquistanesas", afirmou, acrescentando que "as forças da Isaf nunca estão autorizadas a entrar ou aterrissar no Paquistão".

EFE nh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG