Irmãos Muçulmanos egípcios denunciam detenção de 26 de seus membros

Cairo, 22 out (EFE).- Os Irmãos Muçulmanos, o principal grupo opositor egípcio, denunciou em seu site a detenção de 26 de seus membros desde a última terça em diferentes partes do país.

EFE |

O grupo afirma que 12 de seus membros foram detidos na madrugada de hoje na localidade de Al Fayum, ao sul do Cairo, em relação à campanha lançada por várias associações egípcias para romper o bloqueio econômico internacional imposto a Gaza desde junho de 2007.

Além disso, denuncia que outros 14 Irmãos Muçulmanos foram detidos ontem e colocados à disposição da Justiça, pelos mesmos motivos.

Estes 14 membros do grupo conservador egípcio foram detidos durante uma operação policial em Port Said (nordeste do país), durante a qual 20 casas foram revistadas.

Os Irmãos Muçulmanos são uma organização fundada em 1928 e que foi tornada ilegal em 1954. Na atualidade, embora continue sem reconhecimento, tem certa tolerância que lhe permite inclusive se apresentar às eleições ao Parlamento, onde ocupa 88 das 450 cadeiras. EFE jfu/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG