Irmão do papa aceita colaborar em caso de pedofilia na Alemanha

Roma, 7 mar (EFE).- O irmão do papa Bento XVI, Georg Ratzinger, mostrou-se disposto a colaborar com a Justiça alemã no caso dos abusos cometidos contra menores do coro da Catedral de Regensburg, mas destacou que não estava à frente da instituição quando as crianças foram violentadas.

EFE |

Em entrevista à edição de hoje do jornal italiano "La Repubblica", Georg disse que, se a Justiça pedisse, "obviamente estaria disposto a depor". Porém, não seria capaz de dar informações sobre "nenhum ato punível".

"Não disponho de informação, nunca soube de nada", acrescentou, para depois expressar seu desejo de que o coro não seja danificado por essa situação.

Georg também alertou para uma "certa aversão à Igreja por trás de certas afirmações", que teriam como objetivo manhar a instituição.

O irmão do papa Bento XVI foi apontado pela imprensa como diretor do coro da Catedral de Regensburg quando os abusos foram cometidos.

Porém, nos últimos dias, o Bispado de Regensburg negou essas informações, ressaltando que Georg esteve à frente da instituição entre 1964 e 1994. EFE ebp/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG