Irmão do novo chefe de Farc diz que não se justifica a luta armada

Bogotá, 15 jun (EFE).- O vereador de Bogotá Roberto Sáenz, irmão de Alfonso Cano, novo chefe da guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), disse, em entrevista publicada hoje, que a guerra é um holocausto inútil e a luta armada não faz sentido.

EFE |

O político é irmão de Guillermo León Sáenz, conhecido como "Alfonso Cano", designado novo comandante principal das Farc, depois da morte, em março passado, do fundador e líder do grupo, Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo".

Sáenz, vereador pelo partido de esquerda Pólo Democrático, disse ao jornal "El Tiempo" de Bogotá que não está interessado em ir às montanhas a procurar seu irmão para falar de paz.

O vereador manifestou que entende a política "como o serviço à comunidade. Parece uma frase de gaveta, mas é verdade", disse.

"Cada vez tenho mais claro que a política é a forma mais civilizada de dirigir uma sociedade", disse Roberto Sáenz, que admitiu que o conflito colombiano é porque "há um problema econômico e de posse da terra que está na base de tudo isso".

Ressaltou que o fato de ser irmão do máximo chefe das Farc não implica em que ele é uma pessoa-chave para buscar aproximações com esta guerrilha. EFE gta/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG