Irmã de Ingrid Betancourt diz que Correa trouxe esperança de volta à família

Paris, 14 mai (EFE).- Astrid Betancourt, irmã da ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, seqüestrada pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), afirmou hoje que o presidente do Equador, Rafael Correa, deu à família da refém uma ponta de esperança ao dizer que mantém contatos com a guerrilha.

EFE |

Após se encontrar com Correa em Paris, onde o presidente equatoriano está desde ontem em visita oficial, a irmã de Ingrid Betancourt assegurou à Efe que o Equador retomou "leves contatos" com a guerrilha, "que serão aprofundados nos próximos dias".

"O problema de Ingrid e de todos os seqüestrados está no coração do Governo equatoriano", afirmou Astrid, que não revelou a natureza dos contatos entre Quito e as Farc.

Ela assegurou que o Governo do Equador estaria disposto a reconhecer o status de beligerância da guerrilha, caso esta liberte todos os reféns civis, e se comprometa a respeitar as normas do direito internacional humanitário.

Correa, que na atualidade trata as Farc como um grupo "irregular", declarou em várias ocasiões que estaria disposto a considerar o grupo "beligerante", caso passe a respeitar as normas do direito internacional, o que passa pela libertação dos reféns civis.

Esta via de negociação foi retomada após a recente visita à América do Sul do ministro de Exteriores francês, Bernard Kouchner, e conta com o apoio do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. EFE jaf/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG