Cartum, 6 jul (EFE).- Uma delegação irlandesa chegou hoje à região sudanesa de Darfur (oeste) para mediar a libertação de duas voluntárias estrangeiras sequestradas sexta-feira na localidade, informou à Agência Efe uma fonte da Polícia.

Numa conversa por telefone direto de Al Facher, principal cidade da região, a fonte disse que os irlandeses chegaram ao Sudão há dois dias. Liderada pelo embaixador irlandês no Egito, Gerry Corr, a delegação manterá contatos com as autoridades locais.

As duas voluntárias sequestradas, a irlandesa Sharon Commins, de 32 anos, e sua colega ugandense, Hilda Kawuki, de 42, trabalham para a ONG irlandesa GOAL.

Segundo informações, as duas foram sequestradas no norte de Darfur, na residência em que são alocados os empregados da organização humanitária.

Por enquanto, ninguém sabe ao certo para onde as reféns foram levadas nem a identidade dos responsáveis pelo sequestro.

A fonte ouvida pela Efe disse ainda que o objetivo do rapto é a obtenção de um resgate e que a delegação irlandesa aguarda o contato dos seqüestradores.

O sequestro das duas voluntárias é o terceiro ocorrido em Darfur desde que, em 4 de março, o Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu uma ordem de prisão contra o presidente do Sudão, Omar al-Bashir, por crimes de guerra e contra a humanidade na região.

Em 4 de abril, dois voluntários - uma francesa e um canadense - da organização Ajuda Médica Internacional foram sequestrados também em Darfur. Porém, foram soltos depois pelos seqüestradores.

Um mês antes, seis integrantes da organização Médicos Sem Fronteiras já tinham sido feitos reféns na mesma região. Como no caso acima, todos foram libertados pouco tempo depois. EFE az/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.