O Ministério das Relações Exteriores da Irlanda convocou o embaixador israelense pelo uso de passaportes irlandeses falsos pelos supostos assassinos de um líder do grupo radical palestino Hamas em Dubai, anunciou o chefe da diplomacia do país, Michael Martin.

O chanceler irlandês afirmou que o uso de passaportes falsos pelos suspeitos do assassinato de Mahmud al Mabhuh é "um incidente extremamente sério".

Membros do serviço secreto israelense, o Mossad, são suspeitos de ter cometido o assassinato do dirigente do Hamas.

"Estamos fazendo perguntas muito diretas e buscando ajuda e esclarecimento. Queremos obter respostas o mais rápido possível", disse o ministro, para quem o incidente colocou em risco a segurança de cidadãos irlandeses.

O governo de Dublin chegou a afirmar que os dados dos três passaportes irlandeses utilizados pelos suspeitos eram completamente falsos, mas as autoridades do país receberam informações dos Emirados Árabes Unidos que indicam que foram usados números de passaportes irlandeses reais.

Leia mais sobre Hamas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.