Iraquianos criticam indicação de premiê para Nobel da Paz

BAGDÁ (Reuters) - Políticos iraquianos criticaram o governo nesta quinta-feira por indicar o primeiro-ministro Nuri al-Maliki para o prêmio Nobel da Paz, afirmando ser ainda muito cedo para falar sobre prêmios de paz em um país gravemente afetado pelo violência. O governo iraquiano disse que Maliki deveria ser considerado para o prêmio por seu papel em estabelecer a paz e a segurança no Iraque, onde a violência caiu bastante no último ano.

Reuters |

Sua indicação é simbólica, uma vez que os governos não tem voz sobre o processo de avaliação do prêmio, e muitas pessoas são nomeadas todo ano com poucas chances de receber o prêmio.

O último mês registrou o menor número oficial de mortos vítimas da violência no Iraque desde o início da guerra, em 2003, mas o país ainda enfrenta ataques à bomba diários.

"Eu acredito que seja melhor esperar a situação política e de segurança se estabilizarem no Iraque", disse o parlamentar independente Usama al-Nujaifi.

O parlamentar sunita Izzedeen al-Dawla acrescentou: "Quando o último desabrigado iraquiano retornar, ou a anistia, a justiça e as leis forem totalmente aplicadas, e houver reconciliação entre os iraquianos, este será uma grande prêmio. Consequentemente, eu acredito que a nomeação é prematura".

(Reportagem de Mohammed Abbas)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG