Iraquiano que atirou sapato em Bush diz ter sido torturado na prisão

O jornalista iraquiano que atirou os próprios sapatos no ex-presidente dos EUA George W. Bush, no ano passado, afirmou que foi torturado por funcionários de alto escalão do governo do Iraque enquanto estava na prisão. As autoridades militares iraquianas desmentiram as acusações.

BBC Brasil |

Muntazer al-Zaidi foi libertado nesta terça-feira após cumprir pena de nove meses em uma prisão em Bagdá. Pouco após sua libertação, Zaidi disse que queria um pedido de desculpas e que revelaria o nome daqueles que o torturaram. Os parentes dizem que Zaidi, de 30 anos, ainda teme por sua vida.


Na saída da prisão, Muntazer é abraçado por sua irmã, Durgham al-Zaidi / Reuters

O irmão de Zaidi, Dargham al-Zaidi, afirmou que ele teria sido espancado na cadeia e teria sofrido fraturas nos braços e nas costelas, e hemorragia interna por causa da violência.

O inusitado protesto de Muntadar al-Zaidi o transformou em herói em vários países, principalmente no mundo árabe, mas também lhe valeu a condenação por agressão a um líder estrangeiro.

No entanto, a sentença de três anos de prisão do jornalista de televisão foi reduzida a 12 meses, porque ele não tinha ficha criminal. Além disso, ele ganhou redução de três meses de pena por bom comportamento.

A família do jornalista do canal Al-Baghdadia - que recebeu ofertas de dinheiro, empregos e até casamento - preparou uma festa para recebê-lo.

'Beijo de despedida'

Ele acabou passando nove meses preso. O recurso contra a sentença recebida por Muntazer Al-Zaidi foi aceito por um tribunal em Bagdá.

Ao atirar os sapatos contra Bush em dezembro do ano passado, Zaidi gritou: "Esse é o beijo de despedida do povo iraquiano, seu cão. Das viúvas, órfãos e dos mortos no Iraque."

O ato de Zaidi inspirou jogos na internet e camisetas e levou alguns pais a oferecerem a ele as suas filhas em casamento.

Arremessar sapatos é um grave insulto no mundo árabe. Na ocasião, Bush mostrou agilidade ao se esquivar do projétil.

"Senti o sangue dos inocentes no meu pé no momento em que ele (Bush) sorria dizendo ter vindo se despedir do Iraque", disse Zaidi durante seu julgamento em março.

As imagens do sapato sendo arremessado correram o mundo e se tornaram um do símbolos do final do governo Bush.

Uma pesquisa de opinião pública publicada na segunda-feira sugere que 62% dos iraquianos consideram Zaidi um "herói", 24% dos entrevistados disseram considerar o jornalista um criminoso e 10% dos ouvidos, as duas coisas.

Leia mais sobre Iraque

    Leia tudo sobre: iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG