Damasco, 11 nov (EFE).- O ministro iraquiano de Relações Exteriores, Hoshiyar Zebari, em visita a Damasco, reiterou hoje o pedido de que seu país não seja usado como um trampolim para lançar ações hostis contra seus vizinhos.

O chefe da diplomacia iraquiana fez essa chamada após se reunir com seu colega sírio, Walid Al Moualem, com o qual tratou as relações entre seus países, duas semanas depois de um ataque atribuído aos EUA em território sírio que deixou oito mortos.

Segundo um comunicado oficial sírio citado pela agência de notícias oficial síria "Sana", Zebari ressaltou que seu Governo procura "tranqüilizar os países vizinhos sobre o acordo de segurança que há meses negocia com os EUA".

Nesse contexto o responsável iraquiano remarcou que seu país não servirá de base para lançar ações hostis contra qualquer país vizinho sob nenhuma condição -compromisso sobre o qual o ministro sírio manifestou sua satisfação.

Por último, Al Moualem afirmou que a Síria "apóia a estabilidade e a segurança do Iraque e continuará apoiando o Governo iraquiano em seu esforço de adiantar seu processo político e reconciliação nacional".

Zebari chegou em visita surpresa à Síria e amanhã deve se reunir com o presidente sírio, Bashar al-Assad.

Esta viagem ocorre depois que, em 26 de outubro, um ataque atribuído a helicópteros dos EUA em território sírio matou oito pessoas, em Abu Kamal, perto da fronteira com o Iraque, em uma agressão ainda não confirmada pelas autoridades americanas.

Após o incidente, a Síria criticou a postura do Governo iraquiano que em um princípio tentou justificar a ação atribuída aos EUA pelo pouco controle que, na sua opinião, tem o regime de Damasco sobre a fronteira. EFE gb-aj/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.