Iraque quer proibir EUA de usarem seu território para atacar países vizinhos

Bagdá, 23 out (EFE).- O Governo iraquiano quer incluir no pacto de segurança que negocia com os Estados Unidos uma cláusula que proíba as tropas americanas de usar seu território para lançar ataques contra países vizinhos, anunciou hoje o próprio Executivo do país árabe.

EFE |

Em declarações à imprensa, o porta-voz do Governo iraquiano, Ali Dabbagh, explicou que essa nova cláusula está entre as quatro modificações introduzidas na minuta do acordo, que foram aprovadas ontem pelo conselho de ministros.

O Iraque acrescentou essa proposta depois que, no último domingo, helicópteros dos EUA, procedentes de seu território, atacaram a aldeia síria de Abu Kamal, perto da fronteira, e mataram oito civis, segundo a versão do regime de Damasco, ainda sem confirmação por parte das autoridades americanas.

Bagdá já mostrou sua rejeição ao uso de seu território pela aviação militar dos EUA para lançar ataques contra a vizinha Síria.

As remodelações do acordo serão mandadas nos próximos dias às forças americanas para sua aprovação, disse Dabbagh nesta terça-feira.

Bagdá e Washington negociam há meses um pacto para definir e delimitar a natureza da presença das forças americanas no país árabe a partir de dezembro deste ano, quando expira o mandato dado pela ONU aos EUA para o desdobramento de suas tropas no Iraque.

Um dos pontos mais polêmicos deste acordo é a fixação de uma agenda para a retirada das tropas dos EUA, assim como as prerrogativas do pessoal americano deslocado no Iraque. EFE ah/rb/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG