Iraque prende suposto dirigente da Al-Qaeda

Suspeito é acusado de ter matado 130 pessoas, entre civis e policiais

EFE |

Um suposto dirigente da Al-Qaeda no Iraque acusado de ter cometido pelo menos 130 assassinatos foi detido na cidade iraquiana de Fallujah, informaram fontes policiais.

As fontes explicaram que a prisão aconteceu durante uma operação que começou na noite de terça-feira, pelo horário local, e ainda continua, no centro de Fallujah, a 50 quilômetros a oeste de Bagdá. Outras 14 pessoas foram detidas até o momento durante a mesma batida, informaram as fontes.

O suposto dirigente da AlQaeda, identificado como Emad Mohammed Yassin, é acusado de ter matado mais de 130 pessoas, entre membros das forças de segurança e civis na província de Al-Anbar.

A polícia lançou a operação em busca de pessoas acusadas envolvimento em ações terroristas após receber informações dos serviços de Inteligência sobre o lugar onde se refugiavam alguns insurgentes.

Ataque contra policiais

As fontes da polícia informaram ainda que dois policiais morreram na noite de terça-feira após disparos de homens armados na cidade de Mossul, 400 quilômetros a norte da capital.

Os policiais faziam parte das forças que se encarregam da proteção das instalações e estavam em uma estação de trem no sul de Mossul no momento do atentado. Os agressores utilizaram pistolas com silenciadores, segundo as fontes.


    Leia tudo sobre: IraqueAl-QaedaBagdá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG