Iraque: premier Maliki lidera em Basra e consolida vantagem nas legislativas

A lista do primeiro-ministro iraquiano, Nuri al Maliki, consolidou sua vantagem nas legislativas, segundo resultados parciais divulgados neste domingo e que a situam atualmente no primeiro lugar em duas das mais importantes circunscrições do Iraque.

AFP |

Os eleitores também parecem ter preferido a continuidade à mudança nas legislativas de 7 de março na região autônoma do Curdistão, onde os resultados, ainda incompletos, indicam que a aliança entre os dois partidos curdos tradicionais resistiram muito bem ao desafio proposto por uma nova lista.

Uma semana depois das eleições, a lista de Al Maliki, a Aliança do Estado de Direito (AED), tinha neste domingo uma clara vantagem sobre seus rivais na província xiita de Basra (sul), a terceira circunscrição do país pelo número de deputados (24 cadeiras de um total de 325).

O resultado consolida a vantagem da AED - já apontada no sábado como vencedora em Bagdá (70 cadeiras) -, que se encontra atualmente no primeiro lugar em seis das 18 províncias iraquianas, enquanto são divulgados os resultados parciais em 14 delas.

Os resultados completos só serão anunciados em 18 de março, um prazo que gerou especulações e acusações de fraude por parte dos partidos rivais de Maliki, em eleições cruciais para o futuro do país, a menos de seis meses da retirada das tropas americanas, antes da saída total, prevista para antes do fim de 2011.

Com sua vantagem nas províncias de Basra, Babilônia, Najaf, Kerbala e Muthana, Maliki aparece como o grande vencedor no sul xiita, o que tende a validar a estratégia do primeiro-ministro, que decidiu antes das eleições não manter a coalizão ampla que o levou ao poder em 2006.

Seus ex-aliados, a Aliança Nacional Iraquiana (ANI) - uma coalizão de partidos xiitas religiosos - só lideram em duas províncias do sul (Misana e Diwaniya), segundo resultados parciais que os mostram claramente distantes em Bagdá e Basra.

No entanto, uma vitória de Maliki, pelo número de cadeiras, não significaria que ele se manterá no cargo de primeiro-ministro, pois uma vez que é impossível que uma única lista consiga a maioria absoluta, será preciso negociar com os outros grupos políticos.

Seu principal rival para o cargo, o ex-primeiro-ministro leigo Iyad Allawi, que como Al Maliki é xiita, conta com bons resultados nas províncias árabes sunitas.

O Bloco Iraquiano de Allawi lidera na disputada província de Kirkuk (norte), anunciou neste domingo a comissão eleitoral.

Com 123.862 votos neste território, o Bloco Iraquiano teve um pequeno avanço sobre o Curdistânia (120.664), uma aliança dos dois grandes partidos curdos que havia sido apresentada como a favorita em Kirkuk, informou a comissão, detalhando que foram contabilizados 61% dos votos.

A comissão eleitoral, que desde quinta-feira administra a conta-gotas os resultados parciais das legislativas de 7 de março, já atribui ao Bloco Iraquiano de Allawi o primeiro lugar em quatro províncias, entre elas Nínive, a segunda mais importante pelo número de assentos (34).

A Curdistânia reúne a União Patriótica do Curdistão (UPC), do presidente iraquiano Jalal Talabani, e o Partido Democrático do Curdistão (PDC), de Masud Barzani, presidente da região autônoma.

Em terceiro lugar aparece, segundo a comissão, a nova lista Goran ("mudança" em curdo), com 20.152 votos.

mel/psr/mvv

    Leia tudo sobre: iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG