Iraque: pelo menos 42 mortos e 200 feridos em atentados

Uma onda de ataque ensanguentou nesta segunda-feira o Iraque, deixando pelo menos 42 mortos e 200 feridos perto da cidade de Mossul e em Bagdá, lembrando as horas mais terríveis das violências interreligiosas no país em 2006 e 2007.

AFP |

Dois caminhões-bomba, estacionados a poucas centenas de metros um do outro, explodiram em um minuto de intervalo por volta das 04H00 (22H de domingo em Brasília) na cidade de Khaznah, a 20 km a leste de Mossul, deixando 23 mortos e 138 feridos, segundo a polícia e os hospitais de Mossul.

"Como estávamos sem eletricidade e fazia muito calor, fui dormir no telhado. Eu acordo no susto pensando que estava tendo um terremoto. Tinha fumaça e poeira pra todo lado", contou Mohammad Kazem, 37 anos.

"Um minuto depois, houve a segunda explosão, que me jogou do telhado no chão", acrescentou.

Enfermeiro de 23 anos, Falah Reza está sozinho, pois é o único sobrevivente de uma família de 12 pessoas. "Meus 11 parentes morreram quando nossa casa desabou", explicou.

Em Mossul, uma cidade próspera onde vivem 3.500 chabaks (membros de uma seita), a maioria deles comerciantes e agricultores, 35 casas foram destruídas.

Esta seita de fala curda de aproximadamente 30.000 pessoas está espalhada por 35 vilarejos da província de Ninive e a maioria destas pessoas pede sua inclusão na região autônoma do Curdistão. Elas falam o chabaki, um mistura de turco, de persa e de árabe.

Esta crença é resultado de um sincretismo entre o islã xiita e crenças locais. Perseguidos durante a ditadura de Saddam Hussein porque são curdos, eles passaram, após a invasão pelos EUA em 2003, a alvo da Al-Qaeda diversas vezes.

Em Bagdá, três atentados ocorreram pela manhã, dois deles contra entregadores de jornais.

O primeiro atentado, causado pro uma bomba escondida em um saco de cimento em Hay al-Amel, no oeste da cidade, deixou 7 mortos, segundo fontes do ministério do Interior e da Defesa. Em Chourta Arbaa, no norte, uma carro bomba causou a morte de 9 pessoas e deixou 36 feridos, segundo as mesmas fontes.

O terceiro ataque ocorreu em um mercado de Sayadiya, um bairro de maioria sunita do sudeste de Bagdá. Uma bomba colocada no terreo matou três pessoas e feriu mais 14.

Sexta-feira, mais de 45 pessoas morreram e 300 foram feridas, a maioria contra a comunidade xiita. Em Mossul, a 370 km ao norte de Bagdá, um camicase explodiu seu carro-bomba perto de uma mesquita xiita, matando 37 pessoas e ferindo mais 276.

As forças americanas deixaram as cidades iraquianas no fim de junho, dentro do acordo de segurança concluído em novembro com Bagdá.

ak/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG