Iraque mostra vídeo com suposta confissão de bombardeios

BAGDÁ (Reuters) - O Iraque mostrou um vídeo no domingo que diz ser de um seguidor do partido Baath, do ex-líder Saddam Hussein, confessando ter participado da organização de ataques a bomba na semana passada que deixaram 95 pessoas mortas. O homem, que mostra excessiva calma para alguém acusado de fazer parte do ataque mais violento do ano no Iraque, disse ter orquestrado os ataques com bombas com um líder do partido agora declarado ilegal Baath que está morando na Síria.

Reuters |

"Um mês atrás Sattam Farhan me telefonou da Síria e me pediu para conduzir uma operação de bombas para desestabilizar o governo iraquiano", disse o homem calvo e com bigode, tido como o ex-chefe de polícia Wissam Ali Kadhim Ibrahim.

Muitos seguidores de Saddam partiram para a Síria depois da queda do regime em 2003, e autoridades iraquianas frequentemente culpam países vizinhos por fomentar a violência no Iraque.

O porta-voz de segurança de Bagdá Qassim al-Moussawi, que mostrou o vídeo à imprensa, tinha anteriormente anunciado a prisão de um grupo de partidários do Baath que ele diz ter sido responsável pelos ataques de quarta-feira, que atingiu os ministérios do Exterior e das Finanças do país.

Os bombardeios deixaram mais de 1.000 pessoas feridas, muitas delas atingidas por vidros estilhaçados das janelas dos edifícios dos ministérios.

(Reportagem de Muhanad Mohammad e Mohammed Abbas)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG