Iraque está confiante de que Obama não fará retirada apressada

Por Missy Ryan BAGDÁ (Reuters) - O governo iraquiano está confiante que o presidente eleito dos Estados Unidos Barack Obama não prejudicará a segurança do Iraque retirando rapidamente as tropas norte-americanas do país, disse o ministro iraquiano do Exterior, Hoshiyar Zebari, na quarta-feira.

Reuters |

Obama "nos garantiu que não tomará decisões drásticas ou dramáticas", disse Zebari à BBC Television.

"Ele fará consultas ao governo iraquiano e aos militares norte-americanos que estão no terreno, mas acredita fortemente que uma retirada gradual das forças norte-americanas do Iraque colocará mais responsabilidade nos ombros do governo iraquiano", disse.

Obama foi contra a guerra do Iraque desde o início e a promessa de retirar as tropas de combate norte-americanas do país até meados de 2010 foi um dos pontos centrais de sua campanha.

O governo do presidente George W. Bush sempre resistiu ao estabelecimento de um cronograma para a retirada, mas seu governo agora trabalha em um pacto de segurança que estabeleceria o ano de 2011 como data para o fim da presença das tropas.

"Estamos negociando nesse momento com os EUA para um cronograma para a retirada das tropas em 2011... Nossa posição ficou muita próxima do que o senador Obama pediu em sua campanha", disse Zebari.

Washington e Bagdá ainda negociam sobre quão rígido será esse cronograma. O plano também prevê o fim das patrulhas norte-americanas nas ruas iraquianas em meados de 2009.

A violência caiu dramaticamente em todo o Iraque, mas generais dos EUA e líderes iraquianos afirmam que as forças do Iraque ainda não estão prontas para assumir controle total e que uma retirada rápida poderia prejudicar os ganhos já obtidos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG