Bagdá, 5 set (EFE).- O vice-presidente iraquiano, o sunita Tareq al-Hashemi, afirmou que qualquer acordo de segurança com os Estados Unidos deve respeitar a soberania do país, e reiterou que as conversas com Washington sobre este assunto estão interrompidas.

Hashemi fez estas declarações ontem à noite durante uma visita ao bairro de maioria sunita Adhamiya, em Bagdá, por causa do mês sagrado muçulmano do Ramadã, informou a agência de notícias iraquiana "Sawt al-Iraq", que cita um comunicado do escritório do vice-presidente divulgado hoje.

"Aceitaremos um acordo que garanta nossa soberania, e recusaremos qualquer pacto que não garanta nossa soberania ou nossas leis", diz a nota.

Hashemi, que também é líder do Partido Islâmico, a principal legenda sunita do país, sustenta que ainda é preciso resolver assuntos "cruciais" com as autoridades americanas.

Apesar de o veterano político iraquiano não fornecer detalhes sobre a natureza destes assuntos, fontes governamentais iraquianas indicam que a imunidade dos soldados americanos dentro do território iraquiano é uma das questões mais espinhosas nas negociações bilaterais.

Os Estados Unidos insistem em que seus soldados não devem comparecer em nenhum caso à Justiça iraquiana, um ponto que o regime de Bagdá não compartilha.

Este acordo, cuja negociação se prolonga há quatro meses, pretende estabelecer as bases legais sobre a presença de tropas americanas no Iraque, já que em dezembro de 2008 expira o mandato outorgado pelo Conselho de Segurança da ONU ao Exército americano para operar no país. EFE nq/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.