Iraque: Comissão Eleitoral rejeita 500 candidaturas por vínculos com Baath

Bagdá, 15 jan (EFE).- A Comissão Eleitoral iraquiana rejeitou 500 candidaturas para as eleições parlamentares previstas para 7 de março por causa dos supostos vínculos com o dissolvido partido Baath, do falecido ditador Saddam Hussein.

EFE |

O presidente da Comissão Eleitoral, Faraj al-Haidari, disse que a decisão foi tomada pelo Comitê de Justiça e Transparência.

Esse comitê já tinha rejeitado, pelas mesmas razões, a candidatura de Saleh al-Mutlaq, líder da Frente de Diálogo Nacional, uma das principais legendas sunitas do país, que conta com 11 das 275 cadeiras do Parlamento.

"A Comissão Eleitoral informará aos candidatos sobre a decisão, mas eles terão o direito de apelar, através dos canais legais", disse Haidari ontem à noite à televisão estatal iraquiana.

Esta decisão gerou o temor de que ocorram maiores tensões políticas, em um país que tenta avançar para a reconciliação nacional, após anos de conflitos sectários.

O presidente da comissão de Justiça e Transparência acrescentou que 14 grupos políticos não poderão se apresentar às eleições.

Alguns partidos políticos, como o dirigido por Iyad al-Allawi, que ocupou o cargo de primeiro-ministro iraquiano após a queda de Saddam Hussein, já criticaram esta decisão tomada pela Comissão Eleitoral e apoiada pelo Executivo.

O porta-voz do Governo, Ali Dabbagh, declarou que as decisões tomadas pelo Comitê de Justiça e Transparência "são vinculativas e devem ser aplicadas de acordo com a Constituição". EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG