As forças americanas já mataram 14 milicianos xiitas em uma série de enfrentamentos no bairro de Sadr City, na capital iraquiana, bastião do líder radical xiita Moqtada Al-Sadr e de sua milícia, o Exército de Mahdi, informou neste sábado o Exército dos Estados Unidos.

Os combates, que começaram na sexta-feira, já deixaram pelo menos 14 milicianos mortos no empobrecido bairro de Bagdá, onde vivem cerca de duas milhões de pessoas.

Os enfrentamentos começaram às 07H20 horário local (04H20 GMT) de sexta-feira e prosseguiram por diferentes pontos de Sadr City. As tropas americanas agem com o apoio da aviação e de tanques.

Durante a madrugada deste sábado, seis combatentes que colocavam explosivos e atacavam as forças da coalizão morreram, segundo um comunicado militar.

Além disso, um tanque americano M1A1 Abrams disparou contra "criminosos" que supostamente atacavam unidades iraquianas com armas leves de dentro de uma casa, explicou o Exército americano. Três militantes xiitas morreram no confronto.

Nas últimas horas de sexta-feira, um avião americano realizou um bombardeio e matou mais dois milicianos. Outros três morreram em ações diferentes.

As forças americanas combatem os milicianos do Exército de Mahdi em Sadr City desde o dia 25 de março, em ações que já deixaram centenas de mortos. Os seguidores do líder radical acusam os Estados Unidos pela morte de civis.

O tenente-coronel Steven Stover, porta-voz do Exército americano, afirmou que os milicianos xiitas estavam usando "civis inocentes como escudos para suas atividades".

jds/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.