Iraque anuncia morte de líderes da Al-Qaeda no país

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri Al-Maliki, e as forças dos Estados Unidos no país anunciaram nesta segunda-feira a morte de dois líderes da rede extremista Al-Qaeda no Iraque durante operações conjuntas de forças iraquianas e americanas. Em uma entrevista coletiva transmitida pela televisão iraquiana nesta segunda-feira, Maliki afirmou que Abu Ayyub Al-Masri, considerado o chefe militar da Al-Qaeda no Iraque, e Abu Umar Al-Baghdadi, líder de um grupo afiliado chamado Estado Islâmico do Iraque, teriam sido mortos em uma operação em que outros militantes foram presos.

BBC Brasil |

"Tenho o prazer de anunciar aos iraquianos e ao mundo civilizado que nossas forças conseguiram matar Abu Umar Al-Baghdadi e Abu Ayyub Al-Masri", disse o primeiro-ministro iraquiano.

Segundo Maliki, os dois homens teriam sido mortos na província de Salaheddin, a oeste de Bagdá. A televisão iraquiana também mostrou imagens dos dois homens antes e depois de suas mortes.

"O ataque foi feito por forças em solo, que cercaram a casa (onde estavam os militantes) e também usaram mísseis", disse o primeiro-ministro, que afirmou que a casa foi destruída e os corpos encontrados em um buraco, onde os militantes se escondiam.

Golpe 'significativo'
Por meio de um comunicado, o governo dos Estados Unidos confirmou a morte dos dois militantes durante o ataque que ocorreu na manhã do último domingo.

Ainda de acordo com o governo americano, o filho de Baghdadi e o assistente de Masri também teriam sido mortos e outras 16 pessoas presas.

O comandante das forças americanas no Iraque, general Raymond Odierno, classificou as mortes como um "golpe significativo" na Al-Qaeda.

"As mortes destes terroristas são potencialmente o golpe mais significativo na Al-Qaeda no Iraque desde o início da insurgência", disse.

"Há ainda muito trabalho a fazer, mas este é um passo significativo no sentido de livrar o Iraque dos terroristas."
Insurgência
Um dos líderes mortos, Abu Ayyub Al-Masri, também era conhecido como Abu Hamza Al-Muhajir.

Segundo o governo americano, ele foi o responsável por diversos atentados e ataques a bomba no Iraque e teria auxiliado Abu Musab Al-Zarqawi - morto em junho de 2006 - a formar a primeira célula da Al-Qaeda em Bagdá.

Já Baghdadi seria o líder do Estado Islâmico do Iraque, organização que inclui diversos grupos radicais sunitas.

A Al-Qaeda no Iraque é acusada de diversos ataques no país desde a invasão americana em 2003.

Segundo Jim Muir, correspondente da BBC em Bagdá, a morte dos líderes pode contribuir para o declínio da insurgência, mas há diversos outros fatores envolvidos.

Muir cita como exemplo a morte de Musab A-Zarqawi em 2006, que, apesar do otimismo à época, não contribuiu muito para frear a insurgência no Iraque.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG