Iraque altera minuta e deixa acordo com EUA sobre tropas mais distante

Washington, 30 out (EFE) - As esperanças de chegar em breve a um acordo com o Governo do Iraque sobre a permanência das tropas dos Estados Unidos no país diminuíram hoje em Washington, depois que Bagdá apresentou uma série de emendas à minuta pactuada. Há uma série de princípios subjacentes, de princípios básicos sobre os quais não vamos ceder, afirmou hoje a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, em entrevista coletiva. Continuamos tendo esperança e confiança em que alcançaremos um acordo, disse Perino, que admitiu que será difícil os iraquianos o aprovarem. Se fosse fácil, já teria sido feito.

EFE |

A porta-voz fez as declarações após o líder da região semi-autônoma curda no Iraque, Massoud Barzani, ter dito ao jornal "The Washington Post" que será difícil o Governo de Bagdá aceitar o acordo do jeito que está.

A minuta de acordo alcançada entre os dois países após meses de negociações estabelece as condições para a estadia das tropas dos EUA no Iraque quando expirar o mandato da ONU, que o legaliza até 31 de dezembro e prevê que os soldados permaneçam no país até 2011.

Quando Washington acreditava que o pacto estava fechado, Bagdá apresentou, esta semana, quatro emendas que, entre outras coisas, ampliam a jurisdição iraquiana nos casos em que os soldados americanos infrinjam a lei do país e eliminam uma cláusula para prorrogar a estadia das tropas além de 2011 se desejassem.

Em particular, é improvável que os EUA concordem em ampliar a jurisdição iraquiana sobre os soldados americanos.

"Recebemos sua lista de pedidos de mudanças e nossos negociadores em Bagdá as estudam cuidadosamente", explicou Perino.

"Seguiremos tentando chegar a um acordo, porque, já que chegamos tão longe, devemos continuar trabalhando e seguimos esperançosos de poder resolver os últimos assuntos pendentes", declarou a porta-voz.

No Departamento de Estado americano, o porta-voz Robert Wood advertiu, por sua parte, de que "a margem para qualquer tipo de conversas, de negociações, está sendo fechada".

Se os países não chegarem a um acordo até o final do ano, haveria duas opções: prolongar o mandato da ONU além de 31 de dezembro ou suspender as operações americanas no Iraque. EFE mv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG