O ministério do Interior iraquiano demitiu 62.000 funcionários acusados de corrupção desde 2006, o que equivale a mais de 10% de seus oficiais, afirmou o ministro Jawad Bolani ao jornal Chicago Tribune.

"Atacamos a corrupção e demitimos 62.000 funcionários, e começamos a lutar contra o sectarismo proibindo qualquer atividade política aos policiais e criando uma força policial integrada por todos os iraquianos, com xiitas, sunitas e curdos", acrescentou Bolani, ministro desde 2006.

Com 500.000 funcionários, seu ministério é o maior empregador do Iraque.

"Tenho a esperança de que este ministério seja novamente um espelho do Iraque, mas desta para um país unido e em paz. Temos a oportunidade de ser a primeira democracia árabe a funcionar", completou.

dab/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.