Iraniano Emad Baghi recebe prêmio de direitos humanos

Madri, 20 mai (EFE).- O teólogo islâmico iraniano Emad Baghi recebeu hoje a edição 2009 Prêmio Martin Ennals para Defensores dos Direitos Humanos, considerado o Nobel do gênero, concedido por um júri reunido em Madri e do qual fazem parte representantes da Anistia Internacional, da Human Rights Watch e de outras oito ONGs.

EFE |

O presidente do júri e da Fundação Martin Ennals, Hans Thoolen, destacou a coragem e a perseverança de Baghi, que passou quatro dos últimos dez anos preso, foi detido 67 vezes e ameaçado de morte por seus textos, nos quais considera a pena de morte como contrária aos preceitos do Corão.

Emad Baghi é o segundo iraniano a ser premiado com o Martin Ennals nos últimos anos, após o prêmio recebido por Akbar Ganji em 2006.

O agraciado também promoveu em seu país a igualdade entre sexos e a luta contra a tortura, com argumentos baseados em preceitos islâmicos. Atualmente, se encontra em liberdade, apesar das acusações contra si por sua atividade em defesa dos direitos dos presos.

Thoolen explicou que Baghi ficou sabendo do prêmio ontem à noite e recebeu a notícia com satisfação.

Baghi disputou a premiação com a afegã Mary Akramy, ativista de defesa dos direitos da mulher; o cambojano Chea Mony, que trabalha contra a exploração no trabalho; Wan Yanhai, o primeiro defensor dos direitos dos homossexuais na China; e o presidente da comissão de direitos humanos do Quênia, Maina Kiai.

O Prêmio Martin Ennals, que leva o nome do primeiro secretário-geral da Anistia Internacional e cuja fundação tem sede em Genebra, oferece 25 mil francos suíços (US$ 22.600) ao vencedor.

Esta foi a primeira vez que a definição do agraciado ocorreu em Madri. O júri se reúne a cada ano em uma cidade da Europa ou da América do Norte. EFE rf/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG