Iraniano é condenado à morte por tráfico de drogas no Iêmen

Sana, 15 nov (EFE).- Um tribunal iemenita condenou hoje à morte um cidadão iraniano, enquanto um paquistanês e 11 iemenitas foram sentenciados a penas de 25 anos de prisão por introduzir ilegalmente grandes quantidades de haxixe no Iêmen a partir do Irã.

EFE |

Segundo fontes judiciais, Mohammed Houd, de 50 anos, foi condenado à pena de morte pela Corte da Segurança de Estado de Sana após ser considerado culpado de liderar um grupo de traficantes formado por 11 iemenitas e um paquistanês.

Mohammed Aluan, presidente do tribunal, afirmou, na leitura da decisão, que o grupo transportou cerca de 1,5 tonelada de haxixe em uma embarcação de bandeira iraniana.

Todos os membros do grupo foram capturados em março pela Guarda Costeira em frente ao litoral da província iemenita de Mahrat, nos Mar Arábico.

Os condenados pediram à defesa que apele da decisão, enquanto o representante da Procuradoria a impugnou para pedir que o paquistanês e os 11 iemenitas sejam sentenciados também à morte.

Ontem, fontes do Ministério do Interior iemenita informaram que a Guarda Costeira interceptou um navio com cerca de 7 toneladas de haxixe perto do litoral da ilha de Socotorá, no Oceano Índico.

As fontes não especificaram se essa operação concluiu com detidos.

Responsáveis de segurança iemenitas afirmam que os grupos de narcotraficantes usam o território iemenita como trânsito para transportar as cargas de droga do Irã para os ricos países petroleiros do Golfo Pérsico. EFE ja/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG