TEERÃ (Reuters) - O Irã qualificou na terça-feira como mal entendido um incidente na fronteira com o Iraque que fez o preço do petróleo subir na semana passada, e pediu a especialistas de ambos os países que examinem a demarcação dos territórios. A nota aparece dois dias depois de autoridades iraquianas dizerem que as tropas iranianas se retiraram parcialmente de uma área petrolífera reivindicada pelos dois países.

"Nossa posição tem sido cristalina...: foi um mal entendido", disse Ramin Mehmanparast, porta-voz da chancelaria iraniana, em declarações traduzidas pelo canal em inglês da TV estatal.

Ele afirmou que os chanceleres dos dois países conversaram por telefone no sábado e chegaram a um "entendimento," e que uma comissão deveria ser formada para examinar as questões da demarcação da fronteira entre Irã e Iraque, que travaram uma guerra entre 1980 e 1988.

"Acho que é uma questão técnica..., e especialistas de ambos os países deveriam se sentar e procurar... especificar as áreas fronteiriças entre os dois países, de modo que tais mal entendidos sejam removidos", disse ela.

No domingo, o Iraque disse que soldados iranianos que haviam ocupado um poço petrolífero numa região remota da fronteira já não controlavam mais o local, que o Iraque considera ser parte do seu campo petrolífero de Fakka.

No mesmo dia, um agente de fronteiras do Irã afirmou que as forças do seu país haviam regressado às suas posições originais depois de desmontarem uma barricada construída por soldados iraquianos perto do poço petrolífero disputado.

A cotação global do petróleo subiu na sexta-feira, refletindo relatos de que forças iranianas teriam confiscado um poço iraquiano de petróleo.

Irã e Iraque têm um longo histórico de disputas fronteiriças, inclusive uma que degringolou em guerra na década de 1980. A relação entre os dois países melhorou com a queda do regime sunita de Saddam Hussein no Iraque, em 2003, com a subsequente ascensão política de um grupo xiita com afinidades com Teerã.

Segundo os iraquianos, o poço em questão é um dos sete que compõem Fakka, um campo relativamente pequeno, que produz atualmente 10 mil barris de petróleo por dia, aproximadamente. As autoridades iraquianas dizem que esse poço só operou esporadicamente, antes da guerra Irã-Iraque.

O Irã diz que o poço está em seu território.

(Reportagem de Hossein Jaseb e Fredrik Dahl)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.