Irã vai processar jovens americanos por espionagem

Três jovens americanos detidos no Irã por terem supostamente entrado no país ilegalmente vão ser processados por espionagem, segundo disse nesta segunda-feira a agência de notícias oficial iraniana Irna. O promotor-chefe do Irã, Abbas Jafari Dowlatabadi, disse que um parecer sobre o caso será emitido em breve e que as investigações sobre os três prosseguem.

BBC Brasil |

Os americanos detidos são Shane Bauer, um jornalista freelancer do Estado de Minnesota que vive no Oriente Médio, sua namorada, Sarah Shourd, e Joshua Fattal, do Estado da Pensilvânia e que tem um pai iraquiano.

Eles estão presos no Irã desde o final de julho.

Clinton
Acredita-se que o trio cruzou a fronteira iraniana por engano, enquanto faziam uma caminhada pela região do Curdistão iraquiano (norte do país). A fronteira entre os dois países não é claramente demarcada nesta área.

As famílias dos jovens apelaram para que eles fossem liberados, e as autoridades dos Estados Unidos demonstraram preocupação com o ocorrido.

"Acreditamos fortemente que não existam evidências para justificar qualquer acusação", disse a jornalistas a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, durante uma viagem à Alemanha.

"E renovamos nosso pedido, em nome desses jovens e suas famílias, para que o governo iraniano mostre compaixão, os libertem para que possam voltar para casa", completou.

Correspondentes dizem não descartar que o processo esteja sendo usado politicamente pelo Irã, em um momento em que o país discute com os Estados Unidos seu polêmico programa de enriquecimento de urânio.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG