Irã testa versão avançada de míssil de médio alcance

O governo do Irã testou nesta quarta-feira uma versão mais avançada de um míssil de médio alcance, de acordo com informações da televisão estatal iraniana. Segundo a emissora, o novo míssil Sajjil-2 tem um alcance maior do que as versões testadas anteriormente e pode viajar por 2 mil quilômetros - o que colocaria ao alcance do Irã locais como Israel e bases dos Estados Unidos no Golfo Pérsico.

BBC Brasil |

De acordo com o correspondente da BBC para o setor de defesa Nick Childs, quando o Irã testou pela primeira vez o míssil Sajjil, em 2008, o exercício marcou um avanço importante no programa de defesa do país.

O Sajjil, segundo Childs, não era um míssil com um alcance muito maior ou mesmo com uma maior carga do que os outros sistemas já existentes. Mas já era um míssil de combustível sólido, ao invés dos combustíveis líquidos usados nos sistemas de médio alcance que o Irã vinha testando.

Childs afirma que os mísseis com combustíveis sólidos apresentam uma vantagem: uso mais fácil e rápido, já que o combustível pode ficar dentro do projétil. O combustível líquido não pode ser mantido dentro dos mísseis, e o processo de abastecimento pode demorar horas.

Sanções
O novo teste de mísseis iranianos já provocou uma reação do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown. "Esta é uma questão que gera muita preocupação para a comunidade internacional e abre o caminho para que aprovemos mais sanções (contra o Irã)", afirmou o líder britânico.

O novo teste de míssil do Irã ocorre no mesmo dia em que o Judiciário do país anunciou que tem provas de que os líderes da oposição tentaram instigar os protestos contra o governo depois das eleições presidenciais que reelegeram o presidente Mahmoud Ahmadinejad em junho.

O anúncio, feito pelo chefe do Judiciário iraniano Sadeq Larijani, foi interpretado como uma indicação de que os líderes de oposição poderão ser presos. "Temos provas suficientes contra os líderes deste plano contra o sistema", afirmou Larijani.

Entre os líderes de oposição iranianos estão os candidatos presidenciais Mir Hossein Mousavi e Mehdi Karroubi.

De acordo com correspondentes, o novo teste de mísseis pode ser uma tentativa de desviar a atenção dos planos do governo de prender os líderes de oposição. Centenas de oposicionistas já foram presos desde junho e cinco já foram condenados à morte.

O Irã testou outros mísseis Sajjil e Shahab em setembro. Na ocasião, o teste ocorreu apenas semanas depois de o Irã ter revelado a existência de uma instalação nuclear secreta, nas montanhas perto da cidade de Qom.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG