Irã testa míssil que pode alcançar Israel

O Irã testou nesta quarta-feira uma nova versão do míssil de longo alcance Shahab-3, que tem capacidade para atingir Israel, afirmou a mídia estatal iraniana. O míssil, que pode alcançar uma distância de dois mil quilômetros, foi um entre nove - entre mísseis de curto e médio alcance - a serem lançados em um local remoto no deserto.

BBC Brasil |

O comandante da Força Aérea da Guarda Revolucionária Iraniana, Brig-Gen Hoseyn Salami, disse que o país está "pronto para defender a integridade da nação iraniana".

"Nossos mísseis estão prontos para serem disparados de qualquer lugar a qualquer momento, com rapidez e precisão", acrescentou Salami.

"O inimigo não deve repetir seus erros. Os alvos do inimigo estão sendo vigiados."

Alerta
Segundo o correspondente da BBC em Teerã, Jon Leyne, a experiência é um claro alerta do Irã.

"É uma resposta evidente a um exercício militar efetuado recentemente por Israel e que foi considerado como um ensaio para um possível ataque contra as instalações nucleares iranianas", disse o correspondente.

Os testes acontecem um dia depois que o governo dos Estados Unidos impôs novas sanções financeiras a várias companhias e indivíduos iranianos, suspeitos de envolvimento com o programa nuclear do país.

Entre os afetados pelas sanções estão um cientista do ministério da Defesa iraniano, Mohsen Fakhrizadeh-Mahabadi, e três empresas que estariam associadas à indústria de armas.

Ainda na terça-feira, um alto clérigo iraniano disse que, caso o Irã seja atacado por causa de seu programa nuclear, o país vai retaliar com um ataque a Israel e a navios americanos no Golfo Pérsico.

"O primeiro tiro americano no Irã daria início a um incêndio em interesses vitais dos Estados Unidos no mundo", disse o clérigo Ali Shirazi, que é ligado ao aiatolá Ali Khamenei, o mais importante líder religioso do Irã.

Outros comandantes iranianos já ameaçaram fechar o estreito de Hormuz, por onde escoa grande parte do petróleo que abastece vários países.

Autoridades iranianas ainda disseram estar dispostas a atacar os Estados Unidos e seus aliados em todo o mundo caso o Irã seja alvo de incursões.

Os Estados Unidos e outras nações ocidentais acusam o Irã de usar seu programa nuclear como fachada para a fabricação de armas, mas o governo iraniano rejeita as acusações, dizendo que o programa tem fins pacíficos.

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG