Irã testa mais mísseis; EUA prometem defender aliados

Por Edmund Blair TEERÃ (Reuters) - O Irã testou mais mísseis na quinta-feira no golfo Pérsico, segundo a imprensa estatal, e os Estados Unidos prometeram defender seus aliados contra eventuais agressões iranianas.

Reuters |

Washington, que acusa a República Islâmica de tentar desenvolver armas nucleares, disse depois do teste de nove mísseis na quarta-feira que o Irã precisaria suspender esses exercícios se espera conquistar a confiança mundial.

Especulações de que Israel iria bombardear o Irã cresceram desde um grande treinamento aéreo israelense em junho. Além disso, o governo norte-americano não descarta a opção militar caso a diplomacia não convença os iranianos a abandonarem seu programa de enriquecimento de urânio --que o regime islâmico diz ser exclusivamente pacífico.

O Irã reagiu ao exercício israelense com ameaças de revide contra Tel Aviv e contra interesses norte-americanos no mundo.

De acordo com Teerã, alguns mísseis testados no Golfo seriam capazes de alcançar Israel e bases dos EUA.

Em visita à Geórgia, país geograficamente próximo do Irã, a secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice, disse que os EUA vão defender seus interesses e seus aliados.

'Levamos muito a sério nossa obrigação de ajudar nossos aliados a se defenderem, e ninguém deve se confundir a esse respeito', disse Rice após reunião com o presidente Mikheil Saakashvili.

Depois do teste iraniano de quarta-feira, Rice insinuou que essas atividades justificariam a instalação de um escudo antimísseis no Leste Europeu, algo a que a Rússia se opõe.

A TV e a rádio estatais do Irã disseram que a Guarda Revolucionária disparou mísseis terra-mar, terra-terra e mar-ar durante a noite, além de mísseis de longo alcance.

'A manobra traz poder para a República Islâmica do Irã e é uma lição para os inimigos', disse o comandante-chefe da Guarda, Mohammad Ali Jafari, à imprensa estatal.

Em caso de ataque contra si, o Irã ameaça também fechar o estreito de Ormuz, único acesso marítimo ao golfo Pérsico, uma rota vital para as exportações de petróleo do mundo. Os exercícios de quinta-feira envolveram mergulhadores e lanchas, além de um torpedo de alta velocidade, o Hout, segundo a imprensa local.

Os exercícios de quarta-feira já haviam abalado o mercado global de petróleo, causando nova alta no produto após alguns dias de baixa.

O Ocidente já conseguiu aprovar na ONU três pacotes de sanções contra o programa nuclear do Irã, mas grandes potências continuam oferecendo incentivos em troca de o país abrir mão do enriquecimento de urânio --algo que Teerã por enquanto rejeita.

Rússia e China se opõem a mais sanções na ONU.

(Reportagem adicional de Arshad Mohammed em Tbilisi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG