Irã terá nova defesa antiaérea russa em 2009, diz Israel

Por Dan Williams TEL AVIV (Reuters) - O Irã deve receber até o fim deste ano um novo sistema de defesa antiaérea produzido pela Rússia, que ajudaria a defender as instalações nucleares do país no caso de um eventual ataque, disseram nesta quarta-feira fontes importantes da Defesa israelense.

Reuters |

A primeira entrega das baterias de mísseis S-300 deve chegar no começo de setembro, segundo uma fonte, apesar de levar mais 12 meses para que sejam instalados e comecem a operar.

O Irã, que já comprou mísseis terra-ar TOR-M1 da Rússia, anunciou em setembro que tinha encomendado mísseis S-300, mas não especificou quantos. Mas Moscou negou a transação.

Washington lidera os esforços diplomáticos para impedir o acesso do Irã às tecnologias nucleares que sirvam para produzir bombas, enquanto afirma que o uso da força é a última opção a ser considerada caso o Irã não colabore. Israel, cujos aviões de guerra têm treinado para missões de longo alcance, fez ameaças parecidas.

Mas os aliados parecem divergir sobre quando o Irã, que nega querer produzir armas atômicas, pode receber o S-300. A versão mais sofisticada do sistema pode rastrear 100 alvos de uma vez e atirar em aviões a 120km de distância.

'Baseado no que sei, é extremamente improvável que aqueles mísseis contra aviões cheguem ao Irã tão cedo', disse o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, em um informe, no dia 9 de julho.

Uma autoridade da Defesa israelense disse que o contrato do Irã com a Rússia exigia que os S-300 fossem entregues no fim de 2008. Uma segunda fonte disse que as primeiras unidades chegarão no começo de setembro.

A autoridade concordou com a avaliação de especialistas independentes que acreditam que os S-300 aumentam os desafios que o Irã ofereceria a Israel, caso este o atacasse. As instalações nucleares iranianas são numerosas, distantes e fortificadas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG